Ir para conteúdo


BEM VINDO VISITANTE

Está neste momento a navegar no fórum como um visitante, limitando assim a sua navegação no site. Ao fazer o registo no Contra Ataque passará a ter à sua disponibilidade diversas funcionalidades, como comentar tópicos, criar votações, enviar mensagens privadas entre outras coisas. Faça parte da nossa comunidade, registe-se agora clicando aqui!

Economia, Política e Sociedade


25052 respostas neste tópico

#16 afrito78

Postado 19 October 2010 - 15:10

  • 12986 posts
  • LocalizaçãoEriceira
  • ClubeFC Porto
O país também tem um problema crónico (se fosse só um... :P): Não produzimos a ponta de um corno e depois achamos que temos de ganhar e ter as mesmas condições de paises com o dobro de PIB do que nós...

E ao verificarmos que não temos a mesma qualidade de vida, trazemos à outro traço tipico da metalidade tuga: a culpa não é nossa. É dos mercados internacionais, é do governo ou é do raio que os parta. Agora por culpa propria não é... nunca... :D

Quanto ao OE, propriamente dito, não tenho connhecimentos para fazer uma análise minimamente fundamentada da grande maioria dos aspectos que o compõem. E nos aspectos em que tenho o conhecimento necessário, não tenho paciencia para o fazer porque já há muito me apercebo de todo o teatro que os bastidores da politica envolvem e mesmo o bom teatro nunca me encantou. Muito menos o mau teatro... :P

Uma coisa que sei é o que o nosso deficit (bem como outros problemas inerentes à nossa economia) devem-se acima de tudo à nossa mentalidade mesquinha e a problemas estruturais de base: A forma com está esturada função publica e a dimensão que esta tem é um autentico elefante branco com um manto sagrado, porque é um cancro para a sociedade em que ninguem ousa tocar. E no sector privado as empresas estão também mal estruturadas e têm mentalidades muito retrogada, promovendo os lambe-botas e os compadres e sobrecarregando de tabalho quem demonstra iniciativa e eficiencia. Quem nunca ouviu aquela frase tipica de velho do restelo no local de trabalho: "Ó miudo, vai mais devagar senão a chefia vai pensar que andámos estes anos todos a dormir"... Eu já ouvi e só por acaso estava nessa altura na função publica... :P



#17 Licha

Postado 19 October 2010 - 15:15

  • 20470 posts
  • LocalizaçãoPorto
  • ClubeFC Porto

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 15:53, disse:

Mas bem que podias ter uma participação mais interessante neste tópico do que apenas apontar os meus erros :P

Pá, percebo mais da parte teórica básica. Não quero estar a falar muito de coisas que não tenho assim tanto conhecimento. :D

#18 Zmoreira

Postado 19 October 2010 - 15:40

  • 33067 posts
  • LocalizaçãoLisboa
Afrito, eu concordo contigo ... em parte. Porque quem é o primeiro a gastar mais do que produz?

Quem é que gasta milhões em institutos que não se percebem, em funções ridículas. E a verdade é que não temos uma economia com um crescimento suficiente para suportar todos esses gastos.

Mas o mais engraçado, e voltando um bocado ao assunto inicial, é que este OE vai matar ainda mais a economia e impossibilitar ainda mais o crescimento :D

#19 afrito78

Postado 19 October 2010 - 15:59

  • 12986 posts
  • LocalizaçãoEriceira
  • ClubeFC Porto

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 16:40, disse:

Afrito, eu concordo contigo ... em parte. Porque quem é o primeiro a gastar mais do que produz?

Quem é que gasta milhões em institutos que não se percebem, em funções ridículas. E a verdade é que não temos uma economia com um crescimento suficiente para suportar todos esses gastos.

Mas o mais engraçado, e voltando um bocado ao assunto inicial, é que este OE vai matar ainda mais a economia e impossibilitar ainda mais o crescimento :P
Mas isso vai ao encontro do que eu disse sobre a função publica... e do elefante branco. E nesse caso em concreto sempre foi assim. Só não sei é se os institutos aparecem sem utilidade efectiva ou se somos nós que falamos sem conhecimento... efectivo... :D

Quanto à questão económica, não é função e muito menos obrigação do estado gerar crescimento e sim das empresas, em especial as privadas. O estado tem apenas a obrigação de monitorizar os mercados e de criar condições para que esse crescimento seja fomentado. Mas sem investimento é muito dificil inverter a tendencia e promover o crescimento. E neste momento esse é o problema mais grave que o pais atravessa: o acesso ao capital para investir. Cá dentro há pouco e lá fora está caro para pedir emprestado. Logo diria que estamos num ciclo vivioso de recessão.

#20 Zmoreira

Postado 19 October 2010 - 16:05

  • 33067 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar Postafrito78, em 19/10/2010 - 16:59, disse:

Mas isso vai ao encontro do que eu disse sobre a função publica... e do elefante branco. E nesse caso em concreto sempre foi assim. Só não sei é se os institutos aparecem sem utilidade efectiva ou se somos nós que falamos sem conhecimento... efectivo... :D

Quanto à questão económica, não é função e muito menos obrigação do estado gerar crescimento e sim das empresas, em especial as privadas. O estado tem apenas a obrigação de monitorizar os mercados e de criar condições para que esse crescimento seja fomentado. Mas sem investimento é muito dificil inverter a tendencia e promover o crescimento. E neste momento esse é o problema mais grave que o pais atravessa: o acesso ao capital para investir. Cá dentro há pouco e lá fora está caro para pedir emprestado. Logo diria que estamos num ciclo vivioso de recessão.

Eu não sei que utilidade têm as dezenas de institutos mas conhecimento também tenho pouco ou nenhum por isso fico-me por aqui :P

Quanto à 2ª parte: é tarefa das empresas gerar crescimento, mas como podem elas gerar crescimento com esta carga fiscal sufocante sobre a classe média que é de onde partem as PME, e sobre as próprias PME's? lol. E claro que a força empresarial do país não está nas grandes.

Exacto: é um ciclo vicioso. Porque estas medidas de austeridade, que põem em causa a qualidade de vida de muitas famílias, tem como objectivo conseguir dinheiro para podermos pedir mais emprestado lá fora :P É um ciclo que ninguém sabe quando, ou se se irá inverter.

#21 Francisco

Postado 19 October 2010 - 16:37

  • 11588 posts
  • LocalizaçãoLondon
Tema bastante interessante. Quando tiver mais tempo dou uma vista de olhos e deixo aqui a minha opinião.

#22 afrito78

Postado 19 October 2010 - 17:00

  • 12986 posts
  • LocalizaçãoEriceira
  • ClubeFC Porto

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 17:05, disse:

Eu não sei que utilidade têm as dezenas de institutos mas conhecimento também tenho pouco ou nenhum por isso fico-me por aqui :P

Quanto à 2ª parte: é tarefa das empresas gerar crescimento, mas como podem elas gerar crescimento com esta carga fiscal sufocante sobre a classe média que é de onde partem as PME, e sobre as próprias PME's? lol. E claro que a força empresarial do país não está nas grandes.

Exacto: é um ciclo vicioso. Porque estas medidas de austeridade, que põem em causa a qualidade de vida de muitas famílias, tem como objectivo conseguir dinheiro para podermos pedir mais emprestado lá fora :D É um ciclo que ninguém sabe quando, ou se se irá inverter.
Estamos a viver um periodo muito particular e estas cargas fiscais são justificadas (ou não) pela conjectura internacional. O dinheiro está mais caro, ponto. O problema é que nós cá também não temos muito e isso é um problema que não é de agora e desde que se foram os fundos da UE que o dinheiro para investimentos (publicos e privados) é emprestado lá fora.

E esta questão dos fundos da UE remete-me para o cerne da questão: com pouco ou muito dinheiro para investir nós não sabemos o que fazer com ele. Ou melhor... sabemos: sabemos gastar em jipes e casas de ferias e para que muita gente andasse a coçar a micose durante anos.

E é nestas alturas de prosperidade que temos de crescer e de criar bases para suportar os inevitáveis periodos de crise. Mas se pelo contrario, esbanjamos esses periodos, através do consumismo desmesurado que se verificou em portugal nos mandatos do Guterres, por exemplo, não é dificil perceber que estamos em maus lençois quando essa prosperidade é substituida por periodos de recessão.

É um pouco como a fabula do la fontaine da cigarra e da formiga... e adivinha quem nós somos... :P

#23 Exodia

Postado 19 October 2010 - 17:30

  • 33218 posts
  • LocalizaçãoUnknown
  • ClubeBenfica
A UE em 2014 quer por um iva unico isso é bom ou mau para portugal?

#24 Zmoreira

Postado 19 October 2010 - 18:35

  • 33067 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar PostExodia, em 19/10/2010 - 18:30, disse:

A UE em 2014 quer por um iva unico isso é bom ou mau para portugal?

Portugal é, neste momento, o 4º país da UE com maior IVA ... por isso em princípio será bom.

Afrito: a ti respondo mais tarde, quando tiver mais tempo para ler melhor :D

#25 Diogo Afonso.

Postado 19 October 2010 - 18:41

  • 27092 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 19:35, disse:

Portugal é, neste momento, o 4º país da UE com maior IVA ... por isso em princípio será bom.

Afrito: a ti respondo mais tarde, quando tiver mais tempo para ler melhor :D

Será bom? No estado que o nosso País está financeiramente o pior que podíamos fazer era baixar o IVA. Eu sei que custa pagar mais e principalmente em produtos mais caros a diferença nota-se bastante... mas tem que ser por algum lado e este "imposto transparente" é uma das soluções.

#26 Zmoreira

Postado 19 October 2010 - 18:51

  • 33067 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar PostDiogo Afonso., em 19/10/2010 - 19:41, disse:

Será bom? No estado que o nosso País está financeiramente o pior que podíamos fazer era baixar o IVA. Eu sei que custa pagar mais e principalmente em produtos mais caros a diferença nota-se bastante... mas tem que ser por algum lado e este "imposto transparente" é uma das soluções.

A questão é saber até que ponto compensa aumentar o IVA. Porque aumentando há sempre o risco de a procura não se manter a um nível que faça compensar. E se assim for, a única coisa que se está a fazer é tirar poder de compra às pessoas.

#27 Pedroptz

Postado 19 October 2010 - 18:53

  • 1317 posts
  • LocalizaçãoPorto
  • ClubeBoavista

Visualizar PostDiogo Afonso., em 19/10/2010 - 19:41, disse:

Será bom? No estado que o nosso País está financeiramente o pior que podíamos fazer era baixar o IVA. Eu sei que custa pagar mais e principalmente em produtos mais caros a diferença nota-se bastante... mas tem que ser por algum lado e este "imposto transparente" é uma das soluções.

Concordo, eles puseram o iva a esta taxa por alguma razão foi..

Sinceramente preferia um programa mais pensado no consumo do que na poupança, mas aqui se vê que o problema está no sistema político e não na população, ou seja, a população sabe "consumir bem" o Estado é que não tem as contas em ordem.

#28 kiko87

Postado 19 October 2010 - 18:58

  • 2503 posts
  • LocalizaçãoCarquistão, Cascais

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 15:14, disse:

ah, então se não estivéssemos 'nestes extremos' não valia a pena fazer Orçamento? :P ok.

____________________________

Resumidamente, um orçamento de Estado é um plano daquilo que um Governo prevê ter como receitas e despesas. no caso de Portugal fazer um orçamento torna-se algo dramático porque este Governo comprometeu-se em alcançar certas metas do défice, e logo o OE tem que ser feito em volta desse objectivo.

Resumidamente, aquilo que se entende por défice é a diferença entre a receita e a despesa a dividir pelo PIB do país. Em 2010 este valor está situado nos 7,4%.

Para 2011 pretende-se que o défice chegue aos 4,6%. o que é um objectivo ambicioso pois trata-se de uma descida de quase 3 pontos percentuais. Para isto existem 2 métodos óbvios: o Estado passar a gerar mais receita ou tentar cortar na despesa.

A medida mais importante para aumentar a receita foi sem dúvida o aumento da carga fiscal. Para diminuir a despesa houve várias, sendo algumas das mais importantes a redução das remunerações da função pública, redução das transferências para as Autarquias (dinheiro dado pelo Estado às várias autarquias. Onde só na redução em Lisboa o Estado ficou a ganhar 6 milhões de euros.) e a redução das despesas da Segurança social. Na SS algumas das reduções foram:
nas despesas com o Rendimento Social de Inserção (ajuda às famílias mais pobres);
no abono de família;

A minha prof. de Economia disse-me que 4.6 era em 2013 só, de resto resumiste praticamente o que a prof. explicou-me na aula de hoje.

Alguém me explica o drama que se anda a tratar nas noticias sobre o Orçamento de Estado que o governo está a planear? O porquê de o PSD estar a apontar o dedo ao PS? Essas mariquices lá do governo basicamente :D
(claro que é ovio o porque do PSD estar a apontar o dedos ao PS, mas queria perceber isso mais aprofundado)

Editado por kiko87, 19 October 2010 - 19:00.


#29 Diogo Afonso.

Postado 19 October 2010 - 19:04

  • 27092 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar PostZmoreira, em 19/10/2010 - 19:51, disse:

A questão é saber até que ponto compensa aumentar o IVA. Porque aumentando há sempre o risco de a procura não se manter a um nível que faça compensar. E se assim for, a única coisa que se está a fazer é tirar poder de compra às pessoas.

Discordo. O Português não tem como característica geral poupar, o aumento do IVA não atinge apenas a carteira das pessoas, atinge as grandes superfícies por exemplo que por vezes são obrigadas a fazer o exercício de manter o preço mesmo com aumento de IVA para não baixar essa tal procura. Ou seja, as empresas como o Modelo é que arriscam lucrar menos, mas o Estado dificilmente fica em cheque com o aumento do IVA. Há cenas que toda a gente compra, desde o leite e essas merdas. Ainda para mais agora os sumos, leite chocolatados (cena que os putos pedem sempre aos pais) passaram de 5 ou 6% (bens essenciais) para os futuros 23%.

#30 Zmoreira

Postado 19 October 2010 - 19:17

  • 33067 posts
  • LocalizaçãoLisboa

Visualizar PostDiogo Afonso., em 19/10/2010 - 20:04, disse:

Discordo. O Português não tem como característica geral poupar, o aumento do IVA não atinge apenas a carteira das pessoas, atinge as grandes superfícies por exemplo que por vezes são obrigadas a fazer o exercício de manter o preço mesmo com aumento de IVA para não baixar essa tal procura. Ou seja, as empresas como o Modelo é que arriscam lucrar menos, mas o Estado dificilmente fica em cheque com o aumento do IVA. Há cenas que toda a gente compra, desde o leite e essas merdas. Ainda para mais agora os sumos, leite chocolatados (cena que os putos pedem sempre aos pais) passaram de 5 ou 6% (bens essenciais) para os futuros 23%.

Não tem nada a ver com português nenhum nem característica nenhuma, não inventes. Tem a ver que há um certo rendimento que resulta num certo cabaz de compras, se os preços aumentam é directo que se pode comprar menos. Ponto. A única solução é isso que dizes, os vendedores manterem o preço e abdicarem dos seus lucros para manter a procura. Mas assim em vez de prejudicar os consumidores prejudica os vendedores, é igualmente mau.

Sim, deixaram de ser bens essenciais.


Kiko: Aquilo que o PSD basicamente diz é que não queria o aumento dos impostos. Mas apontar o dedo e dizer o que está mal é muito fácil e eles fazem muito bem, procurar e propor soluções é que se torna mais complicado.

Editado por Zmoreira, 19 October 2010 - 19:18.






5 membro(s) está(ão) a ler este tópico

0 membros, 5 visitantes, 0 membros anónimos